• face
  • twitter
  • in

Bolsonaro diz que Brasil tem desempenho excepcional no combate à pandemia, só se ele quis dizer excepcionalmente ruim. Mas, não, ele quer dizer que está tudo bem. Diante do sofrimento dos brasileiros e do momento extremamente perigoso em que estamos na pandemia, caminhando para 3 mil mortes e colapso geral hospitalar, é uma ofensa à sociedade brasileira. Ele não muda de ideia e se julga livre para nos ofender. Mas, não gosta de ser criticado. Aí, ele diz que a sociedade tem que atacar o vírus e não o presidente. Mas, é ele, Bolsonaro, o ofensor. É ele, Bolsonaro, que nos subtrai os meios para combater o vírus com eficácia e eficiência. É ele, Bolsonaro, quem distorce declarações da OMS para enquadrá-las em sua narrativa mentirosa, quem desacredita o isolamento social. Foi ele, Bolsonaro, quem sabotou a compra de vacinas. Proibiu Pazuello de comprar a Coronavac, até que a pressão social o fez retirar a ordem. Foi o governo dele que rejeitou as ofertas de vacina, quando as farmacêuticas estavam planejando suas vendas. Foi Bolsonaro que nos colocou nesta situação de absurdo ao máximo. Bolsonaro nos deixa com um ministro que não é mais ministro, mas ainda está ministro. E outro ministro que vai ser, mas ainda não é ministro. Isto, no pior momento da pandemia, da crise no sistema nacional de saúde, agravada pela incompetência, omissão e erro do ministério da Saúde. Funcionários do governo federal e autoridades estaduais, tentam fazer contato com o ministério e não encontram interlocutores. O ministério está paralisado, acéfalo, sem comando, sem orientação, no meio do caos.

Bolsonaro não vai mudar. Ele mesmo é quem diz que não mudará sua oposição às medidas de combate da pandemia indicada como as únicas disponíveis pela ciência. Só se for convencido. Nunca será covencido, porque não vive na realidade. Não há argumento mais poderoso do que o número de mortes por dia se aproximar de 3000 óbitos, dos hospitais do estados rico e dos estados pobres, estarem no limite do abastecimento de oxigênio, que deve acabar em poucos dias mais, e sem estoques de medicamentos indispensáveis à intubação de pacientes. O quadro pode piorar e ele continuará convencido de sua visão irreal, falsa sobre o que se passa no país concreto. No país de seus delírios tudo vai excepcionalmente bem.

A pergunta que este cenário de absurdos nos propõe é se os militares que o apóiam com sua presenÇa silenciosa no governo, os parlamentares que o apóiam e cujos eleitores estão morrendo ou em agonia, e os empresários para quem a retomada da economia depende de debelarmos a pandemia, continuarão a apoiar um governo fracassado, que só faz o avesso do que precisa com urgência a sociedade? Quando o sofrimento extremo do povo brasileiro vai levá-los a pressionar o governo para mudar de atitude ou tomar as providência para mudar o governo fracassado?

Pin It

Mais recentes

22 Jul 2021
21 Jul 2021
09 Jul 2021
24 Jun 2021
18 Jun 2021
07 Nov 2020
24 Fev 2020
29 Out 2019
20 Ago 2019
24 Out 2017
28 Nov 2016
04 Mar 2016

Mais Artigos

Back to Top